A Metamorfose – Franz Kafka

Pra inaugurar com chave de ouro, resolvi falar sobre um livro curtinho e que todo mundo conhece, pelo menos de nome. A Metamorfose de Kafka, lido pela primeira vez por mim em 2012, inteirinho em uma viagem de ônibus. Não consegui largá-lo, a história me envolveu, mas confesso que naquelas alturas da vida meu aproveitamento do livro não foi o esperado. Pensando nisso, depois de tempos me ensaiando, no final do ano resolvi lê-lo novamente, e dessa vez o resultado foi muito mais satisfatório.IMG_2824

Sinopse: “A metamorfose”, novela publicada em 1915, é uma narrativa fantástica em que o personagem central, Gregor Samsa, ao despertar certa manhã, “depois de um sono intranquilo, achou-se em sua cama convertido em um monstruoso inseto”. Depois desse começo abrupto, a história se desenvolve em torno das mudanças de comportamento que Gregor observa em si e na sua família.

Ano: 2011 (edição), 1915 (publicação)

Páginas: 72

Editora: Saraiva de Bolso

Comentários:

Como já mencionado, o acontecido é que, o personagem principal, Gregor Samsa, acorda um dia transformado em um inseto grotesco. Mas o que chama atenção é que ele não se alarma, suas maiores preocupações são o fato de ter se atrasado pro trabalho, e ter de pegar um trem diferente do usual. Ele realmente pretende ir trabalhar naquela manhã, impedido apenas pelo obstáculo de não passar na porta. Kafka trata dessa metamorfose quase como algo natural e comum.metamorfose

Gregor é a única pessoa que trabalha na casa. Seu pai, sua mãe, sua irmã – os quais não tem nomes na história -, cada um tem uma desculpa diferente para não trabalhar: o pai é muito velho, a irmã é muito moça, a mãe é asmática. Gregor tem um trabalho que detesta e continua trabalhando para sustentar e pagar as dívidas da família.

Conforme a situação metamórfica do personagem permanece, a família se alarda: quem irá colocar comida na mesa de agora em diante? Aos poucos, cada um consegue dar um jeito na “desculpa” e começam a trabalhar. Mas agora o papel se inverte. A irmã se encarrega de levar comida todos os dias em seu quarto, a mãe desmaia quando entra no cômodo, o pai sofre silenciosamente. Todos tem medo de ter de ficarem sozinhos em casa, e se revezam para sempre duas pessoas estarem juntas.

Esse pequeno livro de 72 páginas nos faz refletir sobre o tema dos “parasitas”, muitas vezes interpretado como Gregor, que leva toda sua família ao desespero e a passar necessidades. Mas eu enxergo também a própria família como a parasita, no início da narrativa, onde todos dependem de Gregor e ninguém se esforça em sair da zona de conforto. E depois, mostram-se mal agradecidos por tudo que ele havia feito por eles.

Encerro esse primeiro post por aqui, e quem gostou sinta-se à vontade para deixar um comentário e conferir os próximos posts! Nos encontramos por aqui na semana que vem! 😀

 

Anúncios

4 comentários sobre “A Metamorfose – Franz Kafka

  1. Primeiramente te parabenizo pela inciativa.Gostaria de acrescentar um terceiro elemento que poderia ser considerado um parasita: o estado, que nos impõe obrigações perante as quais nos vemos impotentes.As instituições nas quais estamos diretamente ligados acabariam por sugar a nossa própria subjetividade, naturalizando assim a impessoalidade.

    Curtido por 2 pessoas

  2. Olá! Fico feliz com o teu comentário e agora é minha vez de te parabenizar, por mais um ponto analisado que não havia passado pela minha cabeça até então. O Estado, que nos toma boa parte do nosso dinheiro à força, e principalmente com toda a sua burocracia, realmente, é o maior parasita de todos. Muito bem colocado! Continue acompanhando 🙂

    Curtir

  3. É um livro de grande reflexão. Li tem pouco tempo e fiquei com ele na cabeça desde então. Transportando para os tempos atuais, fiquei imaginando que ao invés de ter se tornado um grande inseto, Samsa descobrisse sua homosexualidade. E vi que a história continua se encaixando perfeitamente: a compaixão inicial de sua irmã; a aceitação inicial de sua mãe; a perda do emprego; o desprezo de todos com o passar do tempo; a agressividade de seu pai… Livro muito bom para pensar sobre mudanças em nós, e nos outros ao nosso redor.
    Concordo com você que precisamos ter certa maturidade para ler alguns livros. Se tivesse sido obrigado a ler
    Hamlet na minha adolescência, provavelmente hoje eu teria horror a livros, contudo ao ler a mesma obra hoje, apaixonei-me de imediato.
    Parabéns pelo blog!
    Grande abraço.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Olá! Concordo com você, as interpretações são muito amplas, certamente deixei escapar muita coisa no post, pois cada um extrai coisas diferentes dessa obra, e eu foquei mais em um lado, mas faz muito sentido comparar com a homossexualidade também! Obrigada por me fazer enxergar mais essa linha de pensamento, e obrigada também pela visita!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s